Pular a navegação e ir direto para o conteúdo


  • TAMANHO DA LETRA:
  • A-
  • A+

09.08.2011

Preso ‘pirata’ da web que vendia dados sigilos de empresa de telefonia

PDF

A Polícia Civil do Rio Grande do Sul prendeu um homem se 25 anos apontado como “pirata da internet”, suspeito de invadir sites de telefonia e roubar dados sigilosos dos clientes da empresa que eram revendidos posteriormente.

Segundo a polícia, o homem, qualificado tecnicamente como um “cracker”, vendia dados sigilosos de clientes da telefônica para terceiros, comercializava clandestinamente chips de celulares capazes de realizarem chamadas internacionais gratuitas e também vendia celulares sem identificação do número. No domingo, o suspeito invadiu a rede da empresa e quase interrompeu o serviço de telefonia da empresa em parte do estado.

Com autorização judicial, policiais entraram na casa do suspeito nesta segunda e apreenderam computadores conectados às áreas restritas da empresa. A manipulação era feita por meio de uma senha capaz de modificar os chips e dados dos clientes.

Comentário da notícia – Alexandre Atheniense: Este fato demonstra que a rede da empresa de telefonia apresentava vulnerabilidades quanto a permissão do acesso não autorizado de informações sigilosas. Ao que tudo indica, o acesso foi remoto que mostra que esses incidentes de vazamento de dados não ocorrem apenas por meio de gravação de dvd´s e sim por acessos a distância. O crime poderá ser tipificado como crime de dano caso seja comprovado que o agente efetivamente danificou ou colocou em risco o sistema da empresa. Este tipo de informação tem grande valor no mercado as consequências jurídicas não devem estar restritas a esfera penal mas também a indenização por danos pelos prejuízos causados.

 

Siga o DNT no Twitter: @dnt_atheniense

Curta nossa página no Facebook: clique aqui

 

Fonte: G1

Publicado na(s) categoria(s) Crimes Cibernéticos, Fraudes eletrônicas, Notícias

Deixe um comentário

  • *

Para sua imagem aparecer ao lado de seu nome nos comentários, cadastre-se no Gravatar usando o mesmo e-mail com o qual comentou.